Fontes de pressão institucional: reflexões sobre legitimidade na indústria hoteleira brasileira

  • Erick Pusch Wilke Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Leonel Cezar Rodrigues Universidade Nove de Julho (UNINOVE)
Palavras-chave: Indústria hoteleira, Hotelaria, Legitimidade, Estratégia corporativa, Comportamento organizacional.

Resumo

As normas e regulamentos criados e consolidados em sociedade perfazem um conjunto de forças institucionais que pressionam as organizações a buscarem legitimidade em seu setor (Oliver, 1988; Deephouse, 1996). Embora a literatura tenha despedido esforços em identificar as forças que contribuem para o isomorfismo das organizações pertencentes ao setor de serviços, como e hospitais e serviços sociais, ainda há lacunas a serem preenchidas especificamente no que se refere ao setor hoteleiro. Neste sentido, o principal objetivo deste estudo esteve centrado em estabelecer reflexões a respeito da legitimidade na indústria hoteleira e os fatores que determinam sua ocorrência. Metodologicamente, levantamos os estudos seminais e as contribuições recentes na teoria institucional e estratégia em hotelaria. Conclusivamente, nossas premissas de que as principais fontes de pressão institucional de legitimação das organizações hoteleiras, a utilização de mão de obra gerencial e técnica, o atendimento as exigências legais imperativas e facultativas e a imitação das organizações de sucesso, de fato originam-se circunstancialmente de uma ou da combinação de mais das citadas forças.

Biografia do Autor

Erick Pusch Wilke, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
Bacharel em Turismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Mestre em Cultura & Turismo pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Doutorando em Administração pela Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Professor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).
Leonel Cezar Rodrigues, Universidade Nove de Julho (UNINOVE)
Mestre e Doutor pela Vanderbilt University (USA) e Professor do PPGA da UNINOVE.
Publicado
20-08-2013
Seção
Artigos