Modelo para Aferir a Hospitalidade a Bordo das Aeronaves do Transporte Aéreo Doméstico Brasileiro

Palavras-chave: Hospitalidade, Passageiros, Aviação, Empresa Aérea

Resumo

Propósito justificado do tema: O conhecimento da forma como os passageiros enxergam a hospitalidade a bordo das aeronaves brasileiras permite identificar os fatores tangíveis e intangíveis valorizados pelos passageiros e que podem fazer diferença no momento da escolha da empresa aérea. Objetivo: Dentro do universo da hospitalidade na aviação, a presente pesquisa tem como objetivo analisar a hospitalidade no transporte aéreo doméstico brasileiro a partir da visão dos passageiros. Metodologia e abordagem: O estudo é de natureza mista compreendendo fase qualitativa com revisão bibliográfica e quantitativa com o desenvolvimento de instrumento de coleta de dados e a análise de 1.163 questionários, tendo se utilizado como ferramenta de análise o software SPSS. Resultados: Os resultados alcançados permitem concluir que, na visão dos passageiros, a hospitalidade é percebida a bordo das aeronaves do transporte aéreo doméstico brasileiro, abrangendo um conjunto de 19 itens que podem ser explicados usando-se 5 fatores que foram denominados “atrativos”, “atendimento”, “bem-estar”, “low-cost” e “higiene”. Originalidade do documento: Este trabalho é original, pois tem por objetivo apresentar modelo inédito para se aferir a hospitalidade a bordo das aeronaves brasileiras.

Biografia do Autor

Alexandre Faro Kaperaviczus, Universidade Anhembi Morumbi, Morumbi, SP

Especialista em Gestão de Processos pela Universidade Federal Fluminense - UFF (2005). Curso de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica pela Universidade da Força Aérea - UNIFA (2005). Especialista Docente em Gestão Empresarial pela Associação de Ensino Unificado do Distrito Federal - AEUDF (2002). Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais da Aeronáutica pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais da Aeronáutica - EAOAR (1997). Bacharel em Direito pela Fundação de Ensino Octavio Bastos - FEOB (1995). Bacharel em Ciências Aeronáuticas pela Academia da Força Aérea - AFA (1987). Advogado (Áreas Cível, Trabalhista, Contratual e Propriedade Intelectual). Gerente-Adjunto de Projetos Aeronáuticos no Subdepartamento de Desenvolvimento e Programas da Aeronáutica (2001-2004 e 2006). Vice-Diretor do Grupo de Trabalho Brasil-Itália para o Programa Aeronave de Combate - AMX (2007-2008). Gerente do Projeto Aeronave Leve de Ataque - AL-X na Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (2009-2010). Piloto Militar da Força Aérea Brasileira (1985-2010). Professor do Curso de Aviação Civil da Universidade Anhembi Morumbi (2012). Professor da Pós-Graduação em Direito Aeronáutico da Universidade Anhembi Morumbi. (2014) Coordenador da Pós-Graduação de Direito Aeronáutico da Universidade Anhembi Morumbi (2016). Mestre em Hospitalidade pela Universidade Anhembi Morumbi. Doutor em Hospitalidade pela Universidade Anhembi Morumbi. Membro do grupo de pesquisa Hospitalidade na Competitividade em Serviços disponível em http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5958223074039087#identificacao

Airton José Cavenaghi, Universidade Anhembi Morumbi, Morumbi, SP

Graduou-se em História (licenciatura plena) pela Universidade Estadual Paulista - UNESP, campus de Assis, obteve os títulos de mestre e doutor em História Social pela Universidade de São Paulo - USP. Atualmente é Professor Pesquisador na Universidade Anhembi Morumbi-SP no PPG em Hospitalidade da mesma IES. Editor Adjunto da Revista Hospitalidade pertencente ao PPG em Hospitalidade da UAM-SP. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil (século XIX), atuando principalmente nos seguintes temas: urbanização brasileira, fotografia, patrimônio cultural, memória, iconografia, bibliologia paulista e cartografia histórica. Ministra, também, aulas nas graduações de Turismo, Hotelaria e Eventos nas áreas de Patrimônio Cultural, Antropologia (espaço, território e identidade). Desenvolve pesquisas na área de Ciências Sociais Aplicadas, com enfoque na interpretação das dimensões, resultantes da percepção da hospitalidade na contemporaneidade.

Paulo Sérgio Gonçalves de Oliveira, Universidade Anhembi Morumbi, Morumbi, SP

Possui graduação em Administração pela Faculdade de Informática e Administração Paulista (2003) ,mestrado em Administração pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul (2008), Doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Metodista de Piracicaba(UNIMEP), com o estudo "Proposição do modelo PLM-PV3G para gestão do ciclo de Vida de Produtos". Foi consultor na empresa Indra Consulting, atuando no cliente Mapfre como Administrador de dados e gestão de qualidade.É professor de graduação e Pós-graduação (Mestrado Profissional em Gestão de Alimentos e Bebidas da Universidade Anhembi Morumbi), atuando nas disciplinas Sistemas de Informação e Comunicação em A&B e Gestão da Cadeia de Suprimentos em A&B. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Gestão Estratégica, atuando principalmente nos seguintes temas: comunidades de prática, Tecnologia da Informação, Gestão do Conhecimento, Métodos Quantitativos Aplicados a Administração, Gestão da Cadeia de Suprimentos e Logística e Gestão do Ciclo de Vida de Produtos.

Referências

Araujo, M. V.; Freitas, H. B. B.; Gomes, J. S.; Brito, M. I. M. (2016). O turismo potiguar que chegou a perder 100 mil desembarques. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, São Paulo, Vol. 10, n 3, set./dez. DOI: https://doi.org/10.7784/rbtur.v10i3.954 DOI: https://doi.org/10.7784/rbtur.v10i3.954

Archana, R.; Shuba, Dr. M. V. (2012). A study on service quality and passenger satisfaction on indian airlines. Interna-tional Journal of Multidisciplinary Research, 2(2), Feb. Disponível em: http://www.prosperfinancialmanagement.com/assets/client_files/PDFs/jd.pdf . Acesso em: 15 jun. 2019.

Boutaud, J. J. (2011). Comensalidade: compartilhar a mesa. In: Montandon, Alain. O livro da hospitalidade: acolhida do estrangeiro na história e nas culturas. São Paulo: SENAC.

Calçada J. R. M. (2018) A hospitalidade percebida pelos tripulantes do CAN no atendimento às populações isoladas da Amazônia. Dissertação (Mestrado em Hospitalidade). Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo. Disponível em: https://portal.anhembi.br/wp-content/uploads/2018/12/disserta%C3%A7%C3%A3o_ROBERTO-MOREIRA-CAL%C3%87ADA-JUNIOR.pdf . Acesso em: 15 jun. 2019.

Camargo, L. O. L. (2004). Hospitalidade. São Paulo: Aleph.

Camargo, L. O. L. (2015). Os interstícios da hospitalidade. Revista Hospitalidade. São Paulo, v. XII, n. especial, p. 42-69, maio, 2015. Disponível em: https://www.revhosp.org/hospitalidade/article/view/574 . Acesso em: 15 jun. 2019.

Camargo, L.O.L. (2019). Hospitalidade, turismo e lazer. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, São Paulo 13 (3), p. 1 – 15, set./dez. DOI: http://dx.doi.org/10.7784/rbtur.v13i3.1749. DOI: https://doi.org/10.7784/rbtur.v13i3.1749

Chang, H., Yang, C. (2008). Explore airlines’ brand niches through measuring passengers’ repurchase motivation-an application of Rasch measurement. Journal of Air Transport Management 14, p. 05– 112. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.jairtraman.2008.02.004. Acesso em: 15 jun. 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jairtraman.2008.02.004

Derrida, J. (1997). De l’hospitalité. Paris: Calmann-Lévy.

Faizan A., Bidit L. D., Raffaele F. (2015). An assessment of service quality and resulting customer satisfaction in Pakistan International Airlines: Findings from foreigners and overseas Pakistani customers. International Journal of Quality & Reliability Management, v. 32(5), pp.486-502, Disponível em: https://doi.org/10.1108/IJQRM-07-2013-0110. Acesso em: 15 jun. 2019. DOI: https://doi.org/10.1108/IJQRM-07-2013-0110

Favorito, F. (2013). Avaliação do Setor de Serviços do Aeroporto de Congonhas. Dissertação (Mestrado em Hospitali-dade). Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo. Disponível em: http://www.univates.br/revistas/index.php/estudoedebate/article/view/606. Acesso em: 15 jun. 2019.

Félix, G. R. A. (2006). Educação corporativa: estudo de caso em uma empresa de transporte aéreo. Dissertação (Mes-trado em Hospitalidade). Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo. Disponível em: http://livros01.livrosgratis.com.br/cp009882.pdf . Acesso em: 15 jun. 2019.

Gil, A. C. (2010). Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas.

Gotman, A. (2001). Le sens de l´hospitalité. Paris: Presses Universitaires de France.

Grinover, L. (2002). Hospitalidade: um tema a ser reestudado e pesquisado. In: Dias, Célia M. (org). Hospitalidade: reflexões e perspectivas. São Paulo: Manole.

Hair, J. F. et al. (2009). Análise multivariada de dados. Edição: 6a ed. [s.l.] Bookman.

Kakinoff, P. S. (2019). Paulo Sérgio Kakinoff: entrevista [mar. 2019]. São Paulo, 1 arquivo .mp3 (25’:18’’).

Kaperaviczus, A. F. (2015). A Evolução da Hospitalidade na Aviação: do voo do “Jahú” aos tempos atuais de competi-ção entre empresas tradicionais e “low-cost”. Dissertação (Mestrado em Hospitalidade). Universidade Anhembi Mo-rumbi, São Paulo. Disponível em: http://docplayer.com.br/15994162-Universidade-anhembi-morumbi-alexandre-faro-kaperaviczus.html. Acesso em: 15 jun. 2019.

Lashley, C. (2000). Towards a Theoretical Understanding, In: C. Lashley and A. Morrison (eds) In Search of Hospitality. Theoretical Perspectives and Debates. Oxford: Butterworth.

Lashley, C., Morrison, A., Randall, S. (2005). More Than a service encounter? Insights into the emotions of hospitality through special meal occasions. Journal of Hospitality and Tourism Management 8 (1), 80-92. Disponível em: https://www.questia.com/library/journal/1G1-133410848/more-than-a-service-encounter-insights-into-the-emotions. Acesso em: 15 jun. 2019.

Malhotra, N. (2011). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Edição: 6a ed. Porto Alegre: Bookman.

Marconi, M. A., Lakatos, E. M. (2002). Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, elaboração, análise e interpretação de dados. São Paulo: Atlas.

Masarrat, G., Jha, S. (2014). Assessing Customer Perception of Service Quality: Comparative Study of Airlines in UAE. World Review of Business Research, 4(2), p. 291 – 303, jul. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/855d/117fe4bc239712f4fde8d01f08809f8284fd.pdf. Acesso em: 15 jun. 2019.

Milon, A. (2011). Metrô: uma trans-hospitalidade. In: Montandon, Alain (dir.). O livro da hospitalidade: acolhida do estrangeiro na história e nas culturas. São Paulo: SENAC.

Mingoti, S. A. (2007). Análise de dados através de métodos de estatística multivariada: uma abordagem aplicada. Edição: 1 ed. Belo Horizonte: UFMG.

Motiani, S., Patil, J., Borkar, S. (2013). Role and Scope of hospitality in aviation. International Journal of Commerce and Business Management. 6(1), April. Acesso em: http://www.researchjournal.co.in/upload/assignments/6_1-4_1.pdf. Acesso em: 15 jun. 2019.

Nameghi, E. N. M. (2013). The relationship between private domain and commercial domain of hospitality in airlines: employing partial least square technique. International Journal of Marketing Studies, 5(2), 2013. Disponível em: http://www.ccsenet.org/journal/index.php/ijms/article/view/22330. Acesso em: 15 jun. 2019.

Nameghi, E. N. M., Ariffin, A. A. M. (2013). The measurement scale for airline hospitality: Cabin crew’s performance perspective. Journal of Air Transport Management. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S096969971300032X. Acesso em: 15 jun. 2019.

Nejati, M., Nejati, M., Shafaei, A. (2009). Ranking airlines’ service quality factors using a fuzzy approach: study of the Iranian society. International Journal of Quality & Reliability Management, 26(3), pp.247-260, Disponível em: https://doi.org/10.1108/02656710910936726. Acesso em: 15 jun. 2019. DOI: https://doi.org/10.1108/02656710910936726

Nilsson, J. H. (2012). Hospitality in aviation: a genealogical study. Hospitality & Society Journal, 2(1), p 77-98. Dispo-nível em: https://www.ingentaconnect.com/content/intellect/hosp/2012/00000002/00000001/art00005. Acesso em: 15 jun. 2019.

Palhares, G. L. (2002). Transportes turísticos. São Paulo: Aleph.

Salva, V. (2017).A Gestão de Serviços em Hospitalidade: O papel do comissário como anfitrião nas empresas aéreas comerciais brasileiras. Dissertação (Mestrado em Hospitalidade). Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo. Dispo-nível em: https://www.anptur.org.br/anais/anais/files/13/437.pdf. Acesso em: 15 jun. 2019.

Santos, A. J. N. (2017). Hospitalidade e Serviços a Bordo de Aeronaves: o caso da Azul Linhas Aéreas. Dissertação (Mestrado em Hospitalidade). Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo. Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/ANHE_b3445679efa4ae8dfaaea02579ce0db1. Acesso em: 15 jun. 2019.

Suki, N. M. (2014). Passenger satisfaction with airline service quality in malaysia: a structural equation modeling approach. Research in Transportation Business & Management 10 (2014), p. 26–32. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2210539514000108. Acesso em: 15 jun. 2019.

Vasconcelos, A. I. T., Machado, D. Q., Almeida, S. R., Arruda, D. M. O., Matos, F. R. N. (2015). O papel das experiências de consumo na construção da imagem das marcas: um estudo nas companhias aéreas. Revista Brasileira de Pesqui-sa em Turismo. São Paulo, 9(1), pp. 138-155, jan./abr. DOI: http://dx.doi.org/10.7784/rbtur.v9i1.745. DOI: https://doi.org/10.7784/rbtur.v9i1.745

Yeoh, E., Chan, J. K. L. (2011). Malaysian Low Cost Airlines: Key influencing Factors on Customers' Repeat Purchase Intention. World Applied Sciences Journal, 12, issue special, p. 35-43. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/fdcc/ba37d9a357832e144d15c668ea7711adb337.pdf. Acesso em: 15 jun. 2019.

Publicado
28-04-2020
Seção
Artigos