Turismo de base comunitária na favela Santa Marta (RJ): oportunidades sociais, econômicas e culturais

  • Apoena Dias Mano Universidade Federal Fluminense
  • Verônica Feder Mayer Universidade Federal Fluminense
  • Aguinaldo Cesar Fratucci Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Turismo em favelas. Turismo de base comunitária. Favela Santa Marta. Rio de Janeiro, Brasil.

Resumo

Propósito justificado do tema: Debates a respeito das motivações e impactos dos processos de turistificação de favelas vêm sendo realizados nos últimos anos, em diversos campos de estudos e em diversos países. Objetivo: Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa realizada na favela Santa Marta, cidade do Rio de Janeiro, com a intenção de se investigar os efeitos do turismo de base comunitária nas atividades turísticas que ocorrem naquele local. Metodologia/Design: Para isso, foram realizados dois estudos: o primeiro, quantitativo, investigou as percepções de turistas e de moradores sobre aspectos positivos e negativos do turismo; o segundo, qualitativo, dedicou-se a compreender a cadeia de turismo de base comunitária local. Resultados e originalidade do documento: Os resultados indicam que alternativas de turismo baseadas no empoderamento e no protagonismo dos moradores podem tornar a prática turística em favelas socialmente mais comprometida. A contribuição central da pesquisa é a reflexão sobre a experiência do Turismo de Base Comunitária em ambientes urbanos como as favelas, indicando que a participação ativa dos moradores pode modificar o perfil do turismo, potencializando as trocas culturais em detrimento da simples observação da pobreza. O amadurecimento desse tipo de rede de turismo comunitário está relacionado à desconstrução de estereótipos relacionados às favelas e à obtenção de impactos socioeconômicos e culturais mais positivos e significativos em comparação às formas mais tradicionais de turismo.

Biografia do Autor

Apoena Dias Mano, Universidade Federal Fluminense
Bacharel em Turismo pela Universidade Federal Fluminense. Cursando Especialização em Sociologia Urbana na Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Membro pesquisador do LABSCON – Laboratório de Estudos de Consumo e Comportamento. Temas de interesse: Desenvolvimento Sustentável; Turismo em Favela; Turismo de Base Comunitária; Comportamento do Consumidor.
Verônica Feder Mayer, Universidade Federal Fluminense
Professora Associada da Universidade Federal Fluminense. Doutora em Administração, coordenadora do Curso de Bacharelado Turismo da Faculdade de Turismo e Hotelaria, membro do corpo docente do Mestrado Acadêmico em Turismo - PPGTUR/UFF; coordenadora do LABCONS - Laboratório de Estudos de Consumo e Comportamento. Suas linhas de pesquisa são: Consumo e Novas Demandas no Turismo; Planejamento, Marketing e Relacionamento com Stakeholders; e Psicologia dos Preços. 
Aguinaldo Cesar Fratucci, Universidade Federal Fluminense
Professor Adjunto da Faculdade de Turismo e Hotelaria da Universidade Federal Fluminense. Doutor e mestre em geografia. Coordenador do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Turismo da Universidade Federal Fluminense. LÍDER DO Grupo de Pesquisa CNPq “Turismo, gestão e territórios”. Áreas de interesse: Gestão pública de turismo; processos de turistificação de espaços; planejamento e gestão de destinos turísticos; epistemologia do turismo.
Publicado
19-07-2017