Indicadores de desempenho utilizados pelas empresas hoteleiras da cidade de Braga/PT à luz do balanced scorecard

Autores

  • Marcleide Pederneiras Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-9092-807X
  • Robson do Vale Silva Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8084-3512
  • Paula Dutra Leão de Menezes Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB, Brasil.
  • Jonathan Muniz Soares Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.7784/rbtur.v16.2331

Palavras-chave:

Empresas hoteleiras, Indicadores de Desempenho, Balanced Scorecard.

Resumo

A pesquisa objetivou conhecer e analisar os indicadores de desempenho utilizados pelos empreendimentos hoteleiros, da cidade de Braga/PT, evidenciando como são utilizados, à luz da teoria dos indicadores do Balanced Scorecard. Realizou-se uma pesquisa bibliográfica, com a finalidade de levar o conhecimento que já foi explorado na literatura especializada e também uma pesquisa de campo, através da aplicação de um questionário junto aos gestores das empresas hoteleiras enviado por correio eletrônico com o link do questionário. A amostra foi constituída pelas empresas hoteleiras na categoria de 2, 3, 4 e 5 estrelas totalizando 21 hotéis. Os dados foram compilados e tabulados na planilha EXCEL e convertidos em um arquivo compatível com o pacote estatístico Statistical Package for the Social Sciences (SPSS). Concluiu-se que 81% dos hotéis respondentes utilizam Sistema de Medição de Desempenho (SMD) e que parte destes (56,1%) faz a utilização de um sistema de desempenho com indicadores calculados através do EXCEL e em todas as empresas hoteleiras pesquisadas são realizadas reuniões com o objetivo de debater sobre o desempenho. Os indicadores mais utilizados são os financeiros (rentabilidade, receita total e faturamento – valor) e nos indicadores não financeiros, os mais utilizados são os de satisfação dos clientes e fidelidade aos clientes.

Biografia do Autor

Marcleide Pederneiras, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB, Brasil.

Professora da Universidade Federal da Paraíba/Departamento de Turismo e Hotelaria, João Pessoa, Paraíba – Brasil e Professora Permanente do Mestrado Profissional em Administração Pública da UFCG – PROFIAP. Pós-Doutorado em Contabilidade, Doutorado em Administração, Mestrado e Graduação em Contabilidade

Robson do Vale Silva, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB, Brasil.

Graduando na Universidade Federal da Paraíba – João Pessoa, Paraíba – Brasil. Departamento de Turismo e Hotelaria, João Pessoa, Paraíba – Brasil

Paula Dutra Leão de Menezes, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB, Brasil.

Professora do Departamento de Turismo e Hotelaria (DTH) - CCTA -UFPB - João Pessoa - PB. Doutora em Humanidades y Artes (Educação) pela Universidad Nacional de Rosario (UNR).

Jonathan Muniz Soares , Universidade Federal da Paraíba (UFPB), João Pessoa, PB, Brasil.

Bacharel em Hotelaria pela Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB, Brasil. Departamento de Turismo e Hotelaria, João Pessoa, Paraíba – Brasil

Referências

Amato, Gian. (2021). Portugal começa emitir certificado digital covid-19 e turismo volta ao simples e seguro. Recu-perado de https://blogs.oglobo.globo.com/portugal-giro/post/portugal-comeca-emitir-certificado-digital-covid-19-e-turismo-volta-ao-simples-e-seguro.html

Atkinson, A. A.; Banker, R. D.; Kaplan, R. S., & Young, S. M. (2000). Contabilidade gerencial (1a ed). São Paulo: Atlas

Badaró, R. A. L. (Org.). (2010). Hotelaria à luz do Direito do Turismo. São Paulo: Senac

Banker, R. D.; Potter, G., & Srinivasan, D. (2000). Na empirical investigation of na incentive plant that includes nonfi-nancial performance measures. The accounting Review, 75(1), p. 65-92. https://doi.org/10.2308/accr.2000.75.1.65

Barbosa, A. S. (2010). Uso de indicadores de desempenho nas empresas construtoras brasileiras: diagnóstico e orientações para utilização. (Tese de Doutorado). Curso de Engenharia De Produção, Universidade De São Carlos, São Carlos, SP, Brasil.

Barros, P. C., & Badiz, M. P. (2005). Prestação de serviços: hotelaria. In: IX Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e V Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba, 2005, São José dos Campos. Anais eletrônicos, 2005. Recuperado de: https://biblioteca.univap.br/dados/INIC/cd/inic/IC6%20anais/IC6-116.pdf

Bisbe, J., & Barrubés, J. (2012). The balanced scorecard as a management tool for assessing and monitoring strategy implementation in health care organizations. Rev Esp Cardiol. 65 (10), p. 919–927.

Bortoluzzi, S. C. Ensslin, S. R., & Enssilin, L. (2010). Avaliação de desempenho dos aspectos tangíveis e intangíveis da área de mercado: estudo de caso em uma média empresa industrial. RBGN Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 12(37), p. 425-446.

Braam, G., & Nijssen, E. (2011). Exploring antecedents of experimentation and implementation of the balanced scorecard. Journal of Management and Organization. Cambridge, 17(6), p. 714-728. https://doi.org/10.5172/jmo.2011.714

Callado; A. L. C; Callado, A. A. C., & Almeida, M. A. (2008). Determinando Padrões de Utilização de Indicadores de Desempenho: Um Estudo em Micro e Pequenas Empresas da Cidade de João Pessoa. Revista UnB Contábil, 11(1-2), p. 18-29). https://doi.org/10.47179/abcustos.v3i2.45

Castelli, G. (1999). Administração Hoteleira. Caxias Do Sul: Educs.

Crepaldi, S. A. (2008). Contabilidade Gerencial: Teoria e Prática. (4a ed.) Atlas.

Crispim, S., & Lugoboni, L. (2012). Avaliação de desempenho organizacional: Análise comparativa dos modelos teóricos e pesquisa de aplicação nas Instituições de Ensino Superior da Região Metropolitana de São Paulo. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão 11 (1), p. 41-54

Desporto. (2018). Braga recebe distinção de Melhor Cidade Europeia do Desporto 2018. Recuperado de https://desporto.sapo.pt/geral/artigos/braga-recebe-distincao-de-melhor-cidade-europeia-do-desporto-2018

Faria, R. T. de. (2007). A Gestão Estratégica com o uso do Balanced Scorecard como diferencial competitivo no setor supermercadista (Trabalho de conclusão de curso). Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF, Minas Ge-rais, MG, Brasil.

Frigo, M., & Krumwiede, K.R. (2000). The balanced scorecard: a winning performance measurement system. Strate-gic Finance, 81(7), p. 50-4.

Lei nº 11.771 de 17 de setembro de 2008 - Dispõe sobre a Política Nacional de Turismo. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11771.htm

Gomes, M. (2018). Passaram por Braga mais de um milhão de turistas entre 2013 e 2018. In: Semanário v. Recu-perado de https://semanariov.pt/2018/09/27/passaram-por-braga-mais-de-um-milhao-de-turistas-entre-2013-e-2018

Greiling, D. (2010). Balanced scorecard implementation in german non-profit organizations. International Journal of Productivity and Performance Management. Bradford, 59 (6), p. 534-554. https://doi.org/10.1108/17410401011063939

Gullo, M. C. R. (2020). A economia na pandemia Covid-19: algumas considerações. Rosa dos Ventos – Turismo e Hospitalidade, 12 (3a ed. especial Covid 19, 1-8). http://doi.org/10.18226/21789061.v12i3a05

Haktanir, M., & E Harris, P. (2005). Performance Measurement Practice in an Independent Hotel Context. Internatio-nal Journal of Contemporary Hospitality Management, 17 (1), p. 39-50 https://doi.org/10.1108/09596110510577662

Hronec S. M. (1994). Sinais Vitais: usando medidas de desempenho da qualidade, tempo e custo para traçar a rota para o futuro de sua empresa. Makron Books

Hendricks, K.; Menor L., & Wiedman C. (2012). Adoption of the balanced scorecard: a contingency variables analysis. Canadian Journal of Administrative Sciences, Chichester, 29 (2), p. 124-138 https://doi.org/10.1002/cjas.229

Hoffecker, J., & Goldenberg, C. (1994). Using the balanced scorecard to develop company-wide performance measures. Journal of Cost Management, 8(3), p. 5-17.

INE (2020). Matrizes Simétricas Input-Output. Lisboa, Portugal. Recuperado de https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_destaques&DESTAQUESdest_boui=4 27464212&DESTAQUESmodo=2&xlang=pt

Kaplan, R.S., & Norton, D.P. (1992). The balanced scorecard – measures that drive performance. Harvard Business Review, January/February, pp. 1-79 https://doi.org/10.2307/41165876

Kaplan, R.S., & Norton, D.P. (1993). Putting the balanced scorecard to work. Harvard Business Review, Septem-ber/October, pp. 134-47

Kaplan, R.S., & Norton, D.P. (1996a). Using the balanced scorecard as a strategic management system. Harvard Business Review, 74, pp. 75-85.

Kaplan, R.S., & Norton, D.P. (1996b). Linking the balanced scorecard to strategy. California Management Review, 39(1), p. 53-79.

Kaplan, R.S., & Norton, D.P. (1996c). The Balanced Scorecard. Harvard Business School Press, Boston, MA, EUA.

Kaplan, R. S., & Norton, D. P. (1997). A estratégia em ação: Balanced Scorecard. (6a ed.). Rio de Janeiro: Campus

Kaplan, R.S., & Norton, D.P. (2001). The Strategy-Focused Organization. Harvard Business School Press, Boston, MA, EUA. https://doi.org/10.1108/sl.2001.26129cab.002

Kiyan, F. M. (2001). Proposta para desenvolvimento de indicadores de desempenho como suporte estratégico. (Dis-sertação). Escola de Engenharia da USP.

Kollberg, B., & ELG, M. (2001). The practice of the balanced scorecard in health care services. International Journal of Productivity and Performance, Bradford 60 (5), p. 427-445) https://doi.org/10.1108/17410401111140374

Kutzman, J. (1997). Is your company off course? Now you can find out why. Fortune, 135 (3), p. 128-30.

Lebas, M., & Euske, K. (2004). A conceptual and operational delineation of performance. In: A. Neely (Ed.), Business performance measurement (pp. 65-79). Cambridge: Cambridge University Press, 2002 https://doi.org/10.1017/CBO9780511753695.006

Leite, D. C. C. (2004). Investigação sobre a medição de desempenho em pequenas empresas hoteleiras do nordeste brasileiro. (Dissertação de Mestrado). Curso de Ciências Contábeis, UNB/UFPB/UFPE/UFRN, João Pessoa, PB, Brasil.

Lingle, J.H., & Schiemann, W.A. (1996). From balanced scorecard to strategic gauges: is measurement worth it? Ma-nagement Review, 5(3), p. 56-61.

Lugoboni, L. F.; Fontes F. de S., & Andrade D. A. da C. (2013). Avaliação de Desempenho Organizacional: medição de desempenho em hotéis do estado de São Paulo. In: X Seminário da Associação Nacional Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo. Universidade de Caxias do Sul – UCS, Caxias do Sul, RS, Brasil.

Lunkes, R. J. (2004). Manual de Contabilidade Hoteleira. Atlas

Machado, M. J. C. V. (2013). Balanced scorecard: an empirical study of small and medium size enterprises. RBGN - Revista Brasileira de Gestão de Negócios, São Paulo, 15(46), p. 129-148. https://doi.org/10.7819/rbgn.v15i46.1175

Maisel, L.S. (2001). Performance Measurement Practices Survey. American Institute of Public Accountants, New York, NY, EUA.

Martins, L. A. V., & Flores, L. C. S. (2017). Comportamento Estratégico: Perfil dos Gestores Hoteleiros da Região do Vale do Itajaí/Santa Catarina. Revista Hospitalidade, 14 (2), 01-23 https://doi.org/10.21714/2179-9164.2017v14n2.764

Merchant, K. A. (2006). Measuring general manager’s performances: Market, accounting and combination of measures systems. Accouting, Auditing & Accountability Journal, 19 (6), p. 893-917. https://doi.org/10.1108/09513570610709917

Mota, K. C. N. (2001). Marketing Turístico: Promovendo uma Atividade Sazonal. São Paulo: Atlas

Mundo Lusiada. (2019). Bom Jesus de Braga e Palácio de Mafra classificados patrimônio mundial da UNESCO. Re-cuperado de https://www.mundolusiada.com.br/box1/bom-jesus-de-braga-e-palacio-de-mafra-classificados-patrimonio-mundial-da-unesco/

Nascimento, D. J.; Pederneiras, M. M. M.; Lopes, J. E. G., & Sousa, C. P. (2015). Um Estudo Acerca da Relação Entre os Gestores de Micro e Pequenas Empresas do Ramo de Supermercados e a Contabilidade Gerencial: al-gumas evidências. In: I Seminário de Ciências Contábeis e Atuariais da UFPB, 2015, João Pessoa-PB. Anais. Recuperado de http://www.media.wix.com/ugd/ee51b6_fe19f6d2f4f44edca 228607d757edaa4.pdf

Neely, A. (1998). Measuring business performance. London: The Economics

Organização Mundial do Turismo – OMT. (2019). World Tourism Barometer 2019. Recuperado de https://webunwto.s3.eu-west-1.amazonaws.com/s3fs-public/2020-01/UNWTO_Barom20_01_January_excerpt_0.pdf

Organização Mundial do Turismo – OMT. (2021). UNWTO World Tourism Barometer and Statistical Annex, March 2021. https://doi.org/10.18111/wtobarometereng.2021.19.1.2

Paiva, C. P.; Magalhães Junior, D. C.; Leandro, M. R. P.; Garcia, T. Z.; Vendrame,M. de C. R., & Lima, A.B. (2010). A evolução da qualidade nos ciclos de serviços hoteleiros: um estudo de caso no Cristal Palace Hotel. Revista Científica do Unisalesiano – Lins – SP, 1(2)

Paixão, W.B.; Cordeiro, I.J.D., & Leite, N.K. (2021). Efeitos da pandemia do COVID- 19 sobre o turismo em Fernando de Noronha ao longo do primeiro semestre de 2020. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, São Paulo, 1 5(1), 2128. https://doi.org/10.7784/rbtur.v15i1.2128

Petrocchi, M. (2003). Hotelaria: Planejamento e Gestão. São Paulo: Futura

Portaria Regulamentar. Recuperado de https://dre.pt/application/file/70869184

Popp, E. V.; Silva, V. C.; Marques, J.A.; Cardone, R., & Fernandes, R. (2007). Hotelaria e hospitalidade. São Paulo: IPSIS

Quesado, P. R., & Rodrigues, L. L. (2009). Factores determinantes na implementação do Balanced Scorecard em Portugal. Revista Universo Contábil, ISSN 1809-3337, FURB, Blumenau, 5 (4), p. 94-115, out./dez. https://doi.org/10.4270/ruc.2009433

Rodrigues, L. H; Schuch, C., & Pantaleão, L. H. (2003). Uma abordagem para construção de sistemas de indicadores alinhados a teoria das restrições e o Balanced Scorecard. In: Encontro da Associação Nacional de Progra-mas de Pós-Graduação em Administração, 27, 2003, Atibaia. Anais. Atibaia: ANPAD

Travelbi, (2018). Turismo na Europa. Recuperado de https//travelbi.turismodeportugal.pt/pt-pt/Paginas/european-tourism-trends-prospects-quaterly-report-q1-2018.aspx.

Downloads

Publicado

2022-01-11

Edição

Seção

Artigos - Gestão do Turismo