Turismo e territorialidade

o território da cerveja da região serrana do Rio de Janeiro como vetor da governança e do desenvolvimento local

Autores

  • Celso Cardoso Gomes Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco e Consultor da MW Ecotur Adventure, Recife, PE, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-5869-5325
  • Eduardo Fernandes Marcusso Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Brasília, DF, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6414-5685

DOI:

https://doi.org/10.7784/rbtur.v16.2214

Palavras-chave:

Turismo, Território da Cerveja, Governança, Desenvolvimento Local.

Resumo

As transformações territoriais causadas pelas atividades turísticas, aliados ao forte avanço da produção de cerveja no Brasil, sobretudo as artesanais, fornecem elementos importantes para análise geográfica. O presente artigo tem por objetivo analisar a relação do turismo, território cervejeiro e a territorialidade, tendo como comprovação empírica a rota da cerveja do Rio de Janeiro, especificamente, a Serra Verde Imperial. Neste sentido, pretende apresentar perspectivas para o desenvolvimento local alicerçado nos conceitos de governança do território e nos processos de desterritorialização. Para a análise foi realizado revisão bibliográfica dos temas, análise de dados secundários nos órgãos públicos e das associações ligadas ao turismo cervejeiro, bem como entrevista semiestruturada com a coordenação da rota cervejeira escolhida pelo estudo. As considerações finais, a partir da entrevista e dados levantados, ampliaram a compreensão das potencialidades de desenvolvimento local que os territórios cervejeiros possuem quando relacionados ao turismo.

Biografia do Autor

Celso Cardoso Gomes, Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco e Consultor da MW Ecotur Adventure, Recife, PE, Brasil.

Doutor em Geografia pelo Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade de Brasília, Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal de Pernambuco, Especialização no Ensino da Geografia e a Questão Ambiental pela FUNESO/UNESF e Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade de Pernambuco. Atualmente é professor da Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco e Consultor da MW Ecotur Adventure.

Eduardo Fernandes Marcusso, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Brasília, DF, Brasil.

Graduação em Geografia pela UNESP/Rio Claro, Mestre em Sustentabilidade na Gestão Ambiental pela UFSCAR/Sorocaba e Doutor em Geografia pela UnB. Geógrafo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, Consultor Técnico da Câmara Setorial da Cerveja do MAPA e Sommelier de Cerveja.

Referências

Ambrozio, J. C. G. O. (2008). Presente e o Passado no Processo Urbano da Cidade de Petrópolis: uma história territo-rial. Tese (Doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo.

Barth-Haas (2020). Barth-Haas Report 2019-2020. Nuremberg: BarthHaas GmbH & Co. Recuperado em nov. 18, 2020 de: https://www.barthhaas.com/fileadmin/user_upload/downloads/barth-berichte-broschueren/barth-berichte/englisch/2010-2020/barthhaas_report_2020_en.pdf.

Beni, M. (1998). Análise estrutural do turismo. São Paulo: Senac.

Benko, G. (1996). Economia, espaço e globalização na aurora do século XXI. São Paulo: Hucitec.

Benko, G. (2001). A recomposição dos espaços. Interações: revista internacional de desenvolvimento local, [S.l.], 1(2), p. 7-12.

Bizinelli, C.; Manosso, F. C.; Gândara, J. M. G.; Valduga, V. (2013) Experiências de turismo cervejeiro em Curitiba, PR. Revista Rosa dos Ventos, 5(2), p. 349-375, abr./jun.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento-MAPA. (2020) Anuário da cerveja: 2019 / MAPA, Secreta-ria de Defesa Agropecuária-SDA, Brasília: MAPA/SDA.

Buarque, S. C. (1998). Metodologia de planejamento do desenvolvimento local e municipal sustentável. Brasília.

Buarque, S. C. (1999). Metodologia de planejamento do desenvolvimento local e municipal sustentável: Material para orientação técnica e treinamento de multiplicadores e técnicos em planejamento local e municipal. Projeto de Cooperação Técnica INCRA/IICA PCT – INCRA/IICA. Brasília, junho.

Buarque, S. C. (2004). Construindo o desenvolvimento local sustentável: Metodologia de planejamento. Garamond, (2ª ed.)

Conceição, C.C. (2020). Modelo analítico de governança regional de turismo -MAGRET. Revista Brasileira de Pesqui-sa em Turismo, São Paulo, 14(2), p. 123-138, maio/ago. http://dx.doi.org/10.7784/rbtur.v14i2.1822

Coriolano, L. N. M.; Lima, L. C. (2003). Turismo comunitário e responsabilidades socioambiental. Ceará: EDUECE.

Coriolano, L. N. M.T. (2006). Reflexões sobre o Turismo Comunitário. Recuperado em maio, 10 de: http://www.etur.com.br/conteudocompleto.asp?idconteudo=11164

Cruz, R. de C. A. da. (2000). Política de turismo e território. Contexto.

Cruz, R. de C. A. da. (2005). da. Políticas pública de turismo no Brasil: território usado, território negligenciado. Revis-ta Geosul, Florianópolis, 20(40), p. 27-43, jul./dez.

Cruz, R. de C. A. da. (2006). Planejamento governamental do turismo: convergências e contradições na produção do espaço. In: Lemos, Amalia Inés Geraiges de; Arroyo, Mónica; Silveira, María Laura. América Latina: Cidade, campo e turismo. São Paulo: CLACSO - Conselho Latino-americano de Ciências Sociais. pp. 337-350.

Cruz, R. de C. A. da. (2007). Geografias do Turismo: de lugares a pseudo-lugares. São Paulo, Roca. 140p.

Demichei, N. A. (2014). Território e gastronomia: O movimento das microcervejarias e cervejas artesanais e a consti-tuição um território cervejeiro em Porto Alegre/RS. In: Congresso Brasileiro de Geógrafos, 7. Vitória. (Anais). p. 1-10.

Endlich, A. M. (2007). Novos referenciais de desenvolvimento e planejamento territorial: possibilidades para as pe-quenas cidades? In: Revista REDES, Santa Cruz do Sul, 12(2), p. 5-35, maio/ago. Recuperado em jul, 06 de: http://online.unisc.br/seer/index.php/redes/article/viewFile/257/201

Fratucci, A. C.; Moraes, C. C. de A.; Allis, T. (2015). Espaços e territórios do turismo: reflexões e indagações. Seminá-rio da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo, 12., 2015. (Anais). Natal (RN), 2015. Recuperado em jan, 20, de http://www.anptur.org.br/anptur/anais/v.11/DFP1_pdf/46.pdf.

Fuini, L. L. (2014). A territorialização do desenvolvimento: construindo uma proposta metodológica. Interações, Campo Grande, 15(1), p. 21-34, jan./jun. https://doi.org/10.1590/S1518-70122014000100003

Furtado. C. (1980). Pequena Introdução ao Desenvolvimento: Enfoque interdisciplinar. Ed. Nacional.

Furtado. C. (1983). Teoria e política do desenvolvimento econômico. (8ª ed.) Ed. Nacional.

Gastal, Suzana; Moesch, Marutschka M. (2007). Turismo, políticas públicas e cidadania. Aleph.

Gomes, C. C. (2014). Conexões e desconexões da atividade turística em municípios da Microrregião do Brejo Per-nambucano. In: Seabra, Giovanni (Org.). Terra: Agricultura familiar, natureza e segurança alimentar. Editora Barlavento.

Gomes, Celso. C; Araújo Sobrinho, Fernando L. (2018). O território turístico da Área de Proteção Ambiental da Costa dos Corais (Alagoas – Pernambuco) - Brasil: a complexa relação do planejamento, gestão, turismo e confli-tos no território. In: Fernandes, José Alberto Rio; Olcina, Jorge; Fonseca, Maria Lucinda; Costa, Eduarda Mar-ques da; Garcia, Ricardo; Freitas, Carlos (Coords).Colóquio Ibérico de Geografia: Península Ibérica no Mundo, 16., 2018. (Anais...) Problemas e desafios para uma intervenção ativa da Geografia.). Lisboa, Centro de Es-tudos Geográficos da Universidade de Lisboa. (E-book).

Haesbaert, R. (1999). Região, diversidade territorial e globalização. GEOgraphia (UFF), Niteroi, 1(1), p. 15-39. https://doi.org/10.22409/GEOgraphia1999.v1i1.a13361

Haesbaert, R. (1999a). A desterritorialização: Entre as redes e os aglomerados de exclusão. In: Castro, I. E. et al. Geografia: Conceitos e temas. Bertrand Brasil. (pp. 165-206).

Haesbaert, R. (2002). Territórios alternativos. Contexto/EdUFF.

Haesbaert, R. (2006). O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multi-territorialidade. Bertrand Brasil.

Haesbaert, R. (2010). Regional-Global: dilemas da região e regionalização na geografia contemporânea. Bertrand Brasil.

Haesbaert, R. Gonçalves, C. W. P. (2006). A nova des-ordem mundial. Editora Unesp.

Ianni, O. (2002). Teorias da globalização. Civilização Brasileira.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (1990). Divisão do Brasil em mesorregiões e microrregiões geo-gráficas. Ministério da Economia, Fazenda e Planejamento, IBGE, Rio de Janeiro.

Knafou, R. (1996). Turismo e Território. Por uma abordagem científica do turismo. In: Rodrigues, A. B. (org.). Turismo e Geografia: Reflexões teóricas e enfoques regionais. Hucitec.

Marcusso, E. F. (2015). As microcervejarias no Brasil atual: Sustentabilidade e territorialidade. Dissertação (Mestra-do) - Universidade Federal de São Carlos, Campus Sorocaba.

Marafon, G.; Ribeiro, M. (2006). Agricultura familiar, pluriatividade e turismo rural: reflexões a partir do território flu-minense. Revista Rio de Janeiro, p. 18-19, jan./dez.

Minasse (2020) Turismo Gastronômico como objeto de pesquisa: análise das publicações em periódicos brasileiros (2005-2017) RBTUR, São Paulo, 14 (1), p. 92-111, jan./abr. https://doi.org/10.7784/rbtur.v14i1.1669

Morado, R. (2009). Larousse da Cerveja. São Paulo: Larousse do Brasil.

Mosher, R. (2009) Tasting Beer: am insider’s guide to the world’s greatest drink. Chicago-Il: Storey Pub.

Pires, E. et. al. (2011). Governança territorial: conceitos, fatos e modalidades. UNESP.

Rodrigues, A. B. (Org.). (1999). Turismo desenvolvimento local. Hucitec.

Saquet, M. (2010). Abordagens e concepções de território. Expressão Popular.

Santos, M. (1992). Espaço & Método. Nobel, (coleção espaços).

Santos, M. (1998). O Retorno ao território. In: Santos, M.; Souza, M. A. A. de; Silveira, M. L. (orgs). (1998). Território: globalização e fragmentação. Hucitec.

Santos, M. (1999). O Território e o saber local: algumas categorias de análise. Cadernos IPPUR; 2, p. 15-25.

Selva, Vanice. S. F. (2000). Le tourisme et la rédéfinition de l’espace des comunnautés du littoral Nord-Est du Brésil. In: Umbelino, Jorge. Sustainable Tourism. Centro de Estudos de Geografia e Planejamento Regional da Uni-versidade Nova de Lisboa. 2000 (p. 259-269) Série Estudos n. 3.

Selva, Vanice. S. F.; Coutinho, S. F. S. (2010). Turismo em ambientes costeiros: reflexões sobre a gestão do turismo no município de Tamandaré - Polo Costa dos Arrecifes – Pernambuco. In: Encontro Nacional de Turismo de Base Local, 6., 2010. (Anais...). ENTBL, Niterói- RJ.

Sen, A. (2000). Desenvolvimento como liberdade. Companhias das Letras.

Tschope, E. C. (2001) Microcervejarias e cervejarias: a história, a arte e a tecnologia. Aden.

Viotti, E. (2012). A cerveja e a cultura popular. Folha de São Paulo, 2012 (Coleção Folha. O Mundo da Cerveja, v.11).

Downloads

Publicado

2021-10-24

Edição

Seção

Artigos - Gestão do Turismo