Componentes curriculares de cursos de graduação em turismo: uma leitura sintático-semântica na relação dialógica entre áreas de conhecimento

  • Marcela Ferreira Marinho Universidade de Caxias do Sul
  • Marcia Maria Cappellano dos Santos Universidade de Caxias do Sul
  • Luciane Todeschine Ferreira Universidade de Caxias do Sul
Palavras-chave: Turismo e Áreas de Conhecimento. Cursos de Graduação. Componentes Curriculares. Leitura Sintático-semântica. Relação Dialógica entre as Áreas.

Resumo

Entre as designações de componentes (disciplinas) de estruturas curriculares de cursos de graduação em Turismo, encontram-se aquelas em que o Turismo e outras áreas de conhecimento constituem uma construção sintática, cujos termos vêm ligados por elementos como: “do”, “no”, “em”, “e” e “aplicado ao”.  Assim, objetiva-se, com base em análise sintático-semântica dessas designações, depreender indiciadores de configurações de diálogo interdisciplinar estabelecido entre elas, uma vez que a essas configurações tendem a corresponder práticas pedagógicas. Considerando como supostos: 1) que o documento Projeto Pedagógico de Curso (PPC) e, nele, a estrutura curricular, se constitui em materialização da dimensão intangível do currículo e que, portanto, as designações das disciplinas deveriam estar aneladas ao intricado de pressupostos norteadores subjacentes ao PPC; 2) que a linguagem, não sendo neutra, traz marcas de vozes dos sujeitos enunciador e enunciatário, de sorte que tais designações implicam sentidos para além do mero registro formal; numa pesquisa de natureza exploratória, analisaram-se, após procedimentos metodológicos de recorte, 74 estruturas curriculares e, nelas, 139 disciplinas, sendo que, percentualmente, apresentaram diferentes números de incidências das referidas construções, com predomínio de “X aplicado ao Turismo”.  Nessa formulação sintática emerge uma transitividade de mão única, conferindo ao Turismo a conotação de objeto de aplicação da área X, não conotando simetria relacional no diálogo entre elas. Os resultados trazem à reflexão a pertinência das designações, tanto no que se refere à natureza do Turismo, quanto ao que as Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Turismo preconizam sobre interdisciplinaridade. A própria opção pela leitura sintático-semântica como ferramenta de análise originária de competências da Linguística do Texto e de linguísticas enunciativas propiciou estender o campo de interpretações dos resultados, concorrendo para estabelecer, interdisciplinarmente, outras/novas conexões conceituais.
Publicado
29-12-2018