Microrrealidades socioculturais transformadas pelo turismo em São Miguel do Gostoso, Rio Grande do Norte, Brasil

  • Esdras Matheus Matias UFPB - Universidade Federal da Paraíba CCTA - Centro de Comunicação, Turismo e Artes DTH - Departamento de Turismo e Hotelaria
  • Aline Vieira Carvalho Universidade Estadual de Campinas -Unicamp Instituto de Filosofia e Ciências Humanas -IFCH Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais - Nepam
Palavras-chave: Turismo. Microrrealidades. Micro-História. Transformações socioculturais. São Miguel do Gostoso.

Resumo

Proposto justificado do tema: A proposta deste artigo foi alinhar perspectivas teóricas e metodológicas da Micro-História com aportes dos estudos no campo do Turismo para entender as transformações das microrrealidades do município de São Miguel do Gostoso (Rio Grande do Norte). Microrrealidades são histórias de pessoas comuns que traduzem e elucidam aspectos microscópicos de um complexo quadro de vida. Objetivo: Analisar as transformações socioculturais da localidade transformadas pelo fenômeno turístico a partir das microrrealidades locais. Design, metodologia e abordagem: No campo metodológico aliou-se a análise qualitativa com a observação direta participante, a análise documental e a investigação do material audiovisual sobre a cidade. Entrevistou-se 52 indivíduos que tiveram alguma representatividade na história da cidade, que não assumiam nenhum cargo oficial e vivenciaram as mudanças decorrentes entre 1993 e 2016. O recorte deste artigo foi de 17 entrevistados. Resultados e originalidade: Os resultados da pesquisa ressaltam que houve transformações relevantes nas microrrealidades socioculturais dos entrevistados. Os impactos mais proeminentes foram: esvaziamento das tradições culturais, hábitos alimentares e linguagem. Por outro lado, contribuições positivas foram enumeradas quanto à pluralidade de culturas e engajamento social. Concluiu-se que as microrrealidades socioculturais foram transformadas pelo fluxo turístico, definindo o turismo como a principal atividade econômica da região e relocando as forças de trabalho. A relevância e originalidade deste estudo é a aliança entre Micro-História e Turismo, quase inexistente nas investigações científicas.

Biografia do Autor

Esdras Matheus Matias, UFPB - Universidade Federal da Paraíba CCTA - Centro de Comunicação, Turismo e Artes DTH - Departamento de Turismo e Hotelaria
Bacharel em Administração. Mestre em Administração.Doutor em Ambiente & Sociedade pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (Nepam) da Universidade Estadual de Campinas - Unicamp.Professor e pesquisador nas áreas de Turismo e Hotelaria.Participante do Grupo de Pesquisa Geografia, Turismo e Patrimônio Cultural IG/DGEO - Unicamp
Aline Vieira Carvalho, Universidade Estadual de Campinas -Unicamp Instituto de Filosofia e Ciências Humanas -IFCH Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais - Nepam
Pesquisadora no Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais da Unicamp (NEPAM), onde desenvolvo investigações na área do Patrimônio, Memória, História Ambiental e Arqueologia Pública. Atuo como co-responsável pelo Laboratório Interdisciplinar do Patrimônio, Comunidades e Ambiente (LIPAC/Nepam - Unicamp). Desenvolvo atividades como professora plena dos programas de pós-graduação em História (IFCH/Unicamp) e em Ambiente e Sociedade (Nepam/Unicamp). E, participo de grupos de pesquisa do CNPq, nas áreas do Patrimônio e da Arqueologia. Possuo o título de doutorado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (Nepam/ IFCH/Unicamp: 2005- 2009) e mestrado em História Cultural (História/IFCH/ Unicamp: 2003/2005). Sou associada ao ICOM, WAC, SAB e ANPUH.
Publicado
30-09-2017