Culto aos ancestrais: encontros de famílias

Autores

  • Adiles Savoldi Centro de Ciências Humanas e Sociais, Antropologia e Sociologia da Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), Chapeco, Santa Catarina, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.7784/rbtur.v2i1.93

Palavras-chave:

Encontros de famílias. Culto aos ancestrais. Imigração.

Resumo

O parentesco traçado, desenhado nas árvores genealógicas, tem revelado um mundo sem fronteiras. Diversos sites na Internet têm divulgado a história de famílias; do mesmo modo, ilustram famílias que fazem apelo para que os parentes do mundo todo estabeleçam algum tipo de comunicação. Essa tentativa de reconstrução histórica de um passado remoto tem propiciado novas formas de contato, configurando o que poderíamos chamar de parentesco virtual, além de encontros de pessoas oriundas de diferentes países. A proposta da pesquisa é refletir sobre as experiências que vêm acontecendo a partir de meados da década de noventa no estado de Santa Catarina em torno dos encontros de famílias italianas. Os encontros de famílias vêm se constituindo em uma nova modalidade de viagem; essa viagem pode ser no mesmo Estado ou em estados vizinhos, ou ainda para outros países, no caso, especialmente a Itália. Na festa há uma reconfiguração do parentesco tanto no sentido de reforçar os laços já existentes como também na descoberta dos "novos parentes". As diferentes dinâmicas prestam homenagens aos ancestrais que deram origem ao tronco do qual descendem os participantes. A cidade anfitriã se prepara para receber os visitantes. Os encontros acontecem em salões paroquiais, clubes recreativos e contam também com a visitação do túmulo do pioneiro imigrante italiano.

Biografia do Autor

Adiles Savoldi, Centro de Ciências Humanas e Sociais, Antropologia e Sociologia da Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), Chapeco, Santa Catarina, Brasil

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Santa Catarina (1993), graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado de Santa Catarina (1990) e mestrado em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (1998). Atualmente é professora titular da Universidade Comunitária Regional de Chapecó. Tem experiência na área de Antropologia, atuando principalmente nos seguintes temas: identidade, cultura, etnicidade e turismo (currículo atualizado em 14/11/2008).
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/1755614833924107

Downloads

Publicado

2008-01-01

Edição

Seção

Artigos