Migración por opcion: el fenómeno migratorio en destinos turísticos de montaña

  • Lía Domínguez de Nakayama Universidad Nacional del Comahue (UNCOMA), Buenos Aires, Argentina.
  • Susana Graciela Marioni Universidad Nacional del Comahue (UNCOMA), Buenos Aires, Argentina.
Palavras-chave: Migração de amenidade. Destinações turísticas. Percepção. Desenvolvimento sustentável. Instituições sociais.

Resumo

Desde tempos muito remotos a dinâmica populacional da Argentina associa-se ao fenômeno migratório. No entanto, os trabalhos realizados até o presente a as leis a que chegaram seus autores mostram que em quase nenhum estudo a migração é considerada uma conseqüência de “atrações positivas”. Em quase todas as pesquisas o fenômeno migratório é examinado como uma resposta forçada pelas condições ambientais desfavoráveisNos últimos anos, um novo tipo de migração associada ao fenômeno turístico tem surgido, a denominada migração de amenidade, realizada por pessoas que, tendo sido turistas em determinada destinação, decidem retornar a ela e se constituirem em residentes. Sua permanência pode ser sazonal ou durante o ano inteiro. Este fenômeno produz importantes efeitos na configuração da personalidade coletiva dos destinos turísticos.O objetivo deste artigo é descrever os processos demográficos e sociais produzidos por este fenômeno nos destinos turísticos de montanha a partir de dois estudos de caso em San Martín de los Andes (Neuquén) e Villa General Belgrano (Córdoba).O estudo nestes dois locais da Argentina, realizado mediante pesquisa documental e entrevistas em profundidade com imigrantes e nativos permite começar a entender de que formja o fenômeno impacta a configuração socio-cutural das populações, no que diz respeito às relações entre residentes e migrantes e nas políticas de sustentabilidade para o desenvolvimento local. 

Biografia do Autor

Lía Domínguez de Nakayama, Universidad Nacional del Comahue (UNCOMA), Buenos Aires, Argentina.
Profesora da Facultad de Turismo – Universidad Nacional del Comahue. Abogada- Facultad de Derecho y Ciencias Sociales de la Universidad Nacional de Córdoba, Especialización en Gestión Sostenible del Turismo - Universidad de la Cooperación Internacional de Costa Rica y Fundación Unida Buenos Aires, Maestría en Ciencias Sociales con mención en Política Social - Facultad de Derecho y Ciencias Sociales de la Universidad Nacional de Córdoba.
Susana Graciela Marioni, Universidad Nacional del Comahue (UNCOMA), Buenos Aires, Argentina.
Profesora Adjunta do Centro de Planificación para el Desarrollo Sustentable del Turismo (CEPLADES), Licenciada en Turismo - Universidad Nacional del Comahue (1984). Maestrando en Gestión Ambiental del Desarrollo Urbano - Facultad de Ingeniería - Universidad Nacional del Comahue. CV LAC: http://www.sicytar.secyt.gov.ar/busqueda/prc_imp_cv_int?f_cod=0000824410
Publicado
01-12-2007
Seção
Artigos