Um estudo sobre as atividades turísticas em seis ilhas brasileiras

  • Rita Gabriela Araujo Carvalho Universidade de Caxias do Sul
  • Felipe Decol Universidade de Caxias do Sul
  • Lucas Fruet Gil Universidade de Caxias do Sul
  • Rosane Maria Lanzer Universidade de Caxias do Sul
Palavras-chave: Turismo. Ilhas Costeiras. Brasil.

Resumo

As ilhas ou estados insulares possuem características físicas que as tornam atraentes para a visitação, sendo suas especificidades propícias para a prática de diversas modalidades turísticas, principalmente aquelas que utilizam os atrativos naturais. Os ambientes insulares são considerados frágeis e podem sofrer facilmente a degradação de seus ecossistemas. As circunstâncias que levam à essa degradação podem ser causadas por ações humanas ou oriundas de processos naturais. Nesse sentido, o presente estudo objetivou identificar as atividades que vêm sendo comercializadas em seis ilhas brasileiras. Para realização da pesquisa foram coletadas informações dos sites dos destinos, a partir das quais foi construído um questionário. Este foi enviado online para 30 agências receptivas das ilhas, visando obter informações acerca das atividades relacionadas ao turismo desenvolvido nas ilhas. Os resultados do estudo demonstram que algumas das atividades citadas pelos entrevistados como frequentes possuem alto potencial de impacto ambiental negativo e requerem melhor planejamento ou até mesmo sua proibição, pois não são compatíveis à fragilidade do ambiente insular.

Biografia do Autor

Rita Gabriela Araujo Carvalho, Universidade de Caxias do Sul
Mestranda em Turismo e Hospitalidade pela Universidade de Caxias do Sul e bolsista da Fundação de Amparo à pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul- FAPERGS. Estudante Pesquisadora do Projeto Lagoas Costeiras III (Petrobras). Atuando nas linhas de pesquisa: Turismo/Meio Ambiente e Comunicação, Turismo e Subjetividade. É graduada em Turismo na Universidade Federal de Pelotas.
Felipe Decol, Universidade de Caxias do Sul
Mestrando em Turismo e Hospitalidade na Universidade de Caxias do Sul. Possui graduação pela Universidade Federal de Pelotas (2010) e pós-graduação em Educação Ambiental pelo SENAC - EAD (2013).
Lucas Fruet Gil, Universidade de Caxias do Sul
Mestrando em Turismo do Programa de Pós-Graduação em Turismo da Uiversidade de Caxias do Sul, bolsista do Projeto Lagoas Costeiras III. Possui graduação em Educação Física pela Universidade de Caxias do Sul (2013), com parte da graduação realizada na Universidad Da Coruña, Espanha (2011).
Rosane Maria Lanzer, Universidade de Caxias do Sul
Possui Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1977), Mestrado em Ecologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1983) e Ph.D. em Biogeografia pela Universitat Des Saarlandes (Alemanha, 1989). Atualmente, é doutor adjunto III da Universidade de Caxias do Sul. Tem experiência na área de Ecologia Aquática e estudos das interfaces do Turismo com o Meio Ambiente.
Publicado
10-03-2016
Seção
Artigos