Mobilidades Transnacionais e a produção acadêmica sobre o turismo em favelas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.7784/rbtur.v16.2262

Palavras-chave:

Turismo em favela, Mobilidade, Estudos urbanos, Estado da arte.

Resumo

O turismo em favelas é a expressão local e exemplar do slum tourism, visita a áreas pobres com a mediação de um guia e com um valor pago acordado entre turistas e agentes promotores. Este artigo é uma meta-análise que discute os princípios orientadores da produção acadêmica sobre o turismo em favelas. Selecionamos artigos publicados em periódicos acadêmicos, livros (monográficos ou coletâneas), e capítulos de livros, escritos em português, espanhol e inglês, dissertações de mestrado e teses de doutorado realizadas em programas de pós-graduação brasileiros, em um total de 146 trabalhos. Demonstramos que a partir do turismo em favelas é possível abordar um conjunto amplo de temas que, em última instância, problematiza a tensa relação entre favelas e o resto da cidade.

Biografia do Autor

Bianca Freire-Medeiros, Universidad de São Paulo (USP), São Paulo, SP, Brasil.

Doctora en Historia y Teoría del Arte y Arquitectura por la Binghamton University (SUNY). Profesora del Departamento de Sociología de la Universidad de São Paulo e investigadora del Centro de Estudios de la Metrópoli, donde coordina el UrbanData-Brasil/CEM: banco de datos bibliográficos sobre el Brasil urbano.

Camila Maria dos Santos Moraes, UNIRIO

Doctora en Historia, Política y Bienes Culturales por el Centro de Investigación y Documentación de Historia Contemporánea de Brasil / Fundación Getulio Vargas – RJ (CPDOC/FGV-RJ). Profesora del Departamento de Turismo de la Universidad Federal del Estado de Río de Janeiro (UNIRIO), donde es Tutora del Programa de Educación Tutorial (PET/MEC) y coordinadora del Observatorio de Turismo en Favelas.

Referências

Angelini, A. (2015). Ludic maps and capitalist spectacle in Rio de Janeiro. Geoforum, 65, 421-430 https://doi.org/10.1016/j.geoforum.2015.01.015

Angelini, A. (2016). Favela in Replica: Iterations and Itineraries of a Miniature City. The Journal of Latin American and Caribbean Anthropology, 21 (1), 39–60. https://doi.org/10.1111/jlca.12174

Angelini, A. (2019). A Favela That Yields Fruit: Community-Based Tour Guides as Brokers in the Political Economy of Cultural Difference. Space and Culture, 23 (1), 15–33. https://doi.org/10.1177%2F1206331219865694

Aquino, J. F.; Kathleen, A. (2018). Volunteer tourists’ perceptions of their impacts on marginalized communities. Journal of Sustainable Tourism, 26 (11), 1967-1983. https://doi.org/10.1080/09669582.2018.1526295

Barbosa, G. F. (2014a). 'Favela Modelo de quê?': O Processo de 'Reencantamento' da Santa Marta através do Mer-cado de Turismo. Revista Ensaios (Niterói), 7, 111-130. https://doi.org/10.22409/re.v7i0.1611

Barbosa G. F.. (2014b). Um novo circuito na favela: o caso da frequentação turística no Santa Marta. [Tesis de Ma-gister. Programa de Postgrado en Antropologia. Universidade Federal Fluminense].

Barbosa G. F.. (2015) A Favela Santa Marta e seus guias de turismo: identidade, mobilização e conflito. Revista Ibe-roamericana de Turismo, 5, 169-179.

Barros, O.; Melo, Maria E. (2011). Do mito à realidade: a experiência de turismo sustentável na comunidade do Vale Encetando, Floresta de Tijuca, Rio de Janeiro, Brasil. Field Actions Science Reports [Online], 3.

Bispo, M. N. (2012). Comunicação e Cidade: a favela Santa Marta e o turismo local. [Tesis de Magister, Programa de Postgrado en Comunicación, Universidad Estatal de Rio de Janeiro].

Bottino, C.M.M. (2016). Quem Descobriu a Favela? A trajetória das agências de turismo nas favelas cariocas. [Tesis de Magister, Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil – CPDOC / Fun-dación Getúlio Vargas – FGV].

Borges, A.M.A. (2012). A dois passos do paraíso? Análise sobre a construção da favela Paraisópolis (São Paulo-SP) como destino turístico. [Tesis de Magister, Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil – CPDOC / Fundación Getúlio Vargas – FGV].

Carvalho, F. C. (2013). O Turismo de Base Comunitária como Instrumento para o Fortalecimento da Participação dos Moradores: o caso da Favela Santa Marta. [Tesis de Magister, Programa de Postgrado en Urbanismo, Uni-versidade Federal do Rio de Janeiro].

Damas, H. L. G. (2018). A Invenção das Subjetividades nos Mercados da Pacificação: um estudo sobre os empreen-dedores da favela turística/RJ. [Tesis de Doctorado, Programa de Postgrado en Sociología, Universidad Fe-deral de São Carlos].

Fagerlande, S.M.R. (2015). Mobilidade e turismo em favelas cariocas. Caderno Virtual de Turismo (UFRJ), 15, 346-361.

Fagerlande, S.M.R . (2017). A favela é um cenário: tematização e cenarização nas favelas cariocas. Revista de Arqui-tectura, 19(1), 6-13. https://doi.org/10.14718/revarq.2017.19.1.90

Fagerlande, S.M.R . (2017). Novas Possibilidades econômicas, sociais e culturais em áreas informais das cidades: o desenvolvimento do turismo em favelas cariocas entre 2008 e 2016. In: Trigueiros, C.; Carsalade, F. (Eds.). A Língua que habitamos: Criar com a Natureza, Viver com a Natureza, Turismo: Impactos nos Territórios e Paisagens, Tecnologias de Ontem e de Hoje: as Vertentes da Sustentabilidade (pp. 175-185). Belo Horizon-te: Academia de Escolas de Arquitectura e Urbanismo de Língua Portuguesa.

Fagerlande,S.M.R . (2018). Grandes eventos esportivos: impactos nas favelas do Rio de Janeiro. Bitacora Urbano Territorial, 28, 143-151. https://doi.org/10.15446/bitacora.v28n2.70037

Fortunato, R.A.; Neffa, E.. (2010). Turismo em favelas cariocas: potencialidades de práticas de Educação Ambiental não formal para superação de problemas socioambientais locais. Revista Ambiente e Educação, 15 (2), 251-265.

Fortunato, R.A.; Neffa, E.. (2014). O socioambientalismo e o turismo solidário no Complexo do Alemão (RJ, Brasil). Revista Brasileira de Ecoturismo, 7, 67-85. https://doi.org/10.34024/rbecotur.2014.v7.6093

Freire-Medeiros, B. (2007). A favela que se vê e que se vende: reflexões e polêmicas em torno de um destino turísti-co. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 22, 61-72. https://doi.org/10.1590/S0102-69092007000300006

Freire-Medeiros, B. (2009). Gringo na Laje: produção, circulação e consumo da favela turística. Rio de Janeiro: FGV.

Freire-Medeiros, B. (2010). Felicidade é...uma favela violenta com vista pra o mar. In: João Freire Filho. (Org.). Ser feliz hoje: reflexões sobre o imperativo da felicidade (pp. 257-273). Rio de Janeiro: FGV.

Freire-Medeiros, B. (2013). Touring Poverty. New York: Routledge. https://doi.org/10.4324/9780203840719

Freire-Medeiros, B. (2008). Diários no sentido irrestrito do termo: Memórias virtuais de cidades reais. E-Compós, 11, 11-30. https://doi.org/10.30962/ec.272

Freire-Medeiros, B. (2009). Consumindo a favela turística. In: Barbosa, L.; Portilho, F.; Veloso, L. (Orgs.). Consumo: Cosmologias e Sociabilidades, (pp. 117-134), Rio de Janeiro: Mauad.

Freire-Medeiros, B.; Menezes, P. (2009a). Fotografando A Pobreza Turística. Revista Antropológicas (Recife), 20, 55-75.

Freire-Medeiros, B.; Menezes, P. (2009a). Da Promoção da Favela como Destino Turístico: Alguns dilemas éticos e práticos. In: Santos, G et al. (Org.) Ética, pesquisa e políticas públicas. (pp. 123-154). São Paulo: Rubio.

Freire-Medeiros, B.; Menezes, P. (2016). As viagens da favela e a vida social dos suvenires. Sociedade e Estado (Brasilia), 31, 651-670. https://doi.org/10.1590/s0102-69922016.00030005

Freire-Medeiros, B.; Nunes, F.; Campello, L. (2011). Sobre afetos e fotos: volunturistas em uma favela carioca. Revis-ta Brasileira de Pesquisa em Turismo. São Paulo, 5, 157-176. https://doi.org/10.7784/rbtur.v5i2.424

Freire-Medeiros, B.; Vilarouca, M. G. (2015). Would You Be a Favela Tourist? Confronting Expectations and Moral Concerns Among Brazilian and Foreign Potential Tourists. In: Anya Diekmann; Melanie Kay Smith. (Org.). Eth-nic and Minority Cultures as Tourist Attractions. (pp. 151-168). Bristol: Channel View Publications.

Freire-Medeiros, B.; Vilarouca, M.; Menezes, P. (2012). Gringos no Santa Marta: Quem são, o que pensam e a como avaliam a experiência turística na favela. In: Santos, A. et al. (Org.). Rio de Janeiro: Um território em mutação. (pp. 183-205). Rio de Janeiro: Gramma.

Freire-Medeiros, B.; Vilarouca, M.; Menezes, P. (2013). International tourists in a ‘pacified’ favela: profiles and attitu-des. The case of Santa Marta, Rio de Janeiro. Die Erde – Journal of the Geographical Society of Berlin, 144(2), 147-159. https://doi.org/10.12854/erde-144-11

Freire-Medeiros, B.; Vilarouca, M.; Menezes, P. (2016). A pobreza turística no mercado de pacificação: Reflexões a partir da experiência da Favela Santa Marta. Caderno CRH (Salvador), 29, 1-16. http://doi.org/10.1590/s0103-49792016000300010

Freire-Medeiros, B.; Name, L. (2015). 'Peace, love & fun!': An aerial cable car and the traveling favela. In: Cidell, J.; Prytherch, D. (Org.). Transport, Mobility, and the Production of Urban Space (pp. 98-111). Londres: Routledge. https://doi.org/10.4324/9781315709680-16

Freire-Medeiros, B.; Name, L. (2017a). Teleféricos na paisagem da favela latino-americana: mobilidades e Coloniali-dades. Revista de Geografia e Ordenamento do Território, 1, 263-282. http://doi.org/10.17127/got/2017.11.012

Freire-Medeiros, B.; Name, L. (2017b). Does the Future of the Favela Fit in an Aerial Cable Car? Examining tourism mobilities and urban inequalities through decolonial lens. Canadian Journal of Latin American and Ca-ribbean Studies, 42, 1-16. https://doi.org/10.1080/08263663.2017.1281944

Freire-Medeiros, B.; Name, L. (2019). Epistemologia da Laje. Tempo Social, 31, 153-172. http://doi.org/10.11606/0103-2070.ts.2019.151262

Freire-Medeiros, B.; Moraes, C.M.S. (2015). A favela como atração turística. In: Panosso, A.; Ansarah, M. (Org.). Produ-tos turísticos e novos segmentos de mercado: planejamento, criação e comercialização, (pp. 366-378), Ba-rueri: Monole.

Freire-Medeiros, B; Rocha, L. (2013). ’Uma pequena revolução': Arte, mobilidade e segregação em uma favela cario-ca. In: Pontes Jr. et al. (Org.). Cultura, Memória e Poder: Diálogos Interdisciplinares, (pp. 107-120), Río de Janeiro: EdUerj/Faperj.

Frenzel, F. (2012). Beyond ‘Othering’: the political roots of slum tourism In: In: Frenzel, F. et al. (Org.). Slum Tourism: Poverty, Power and Ethics. (pp. 49-65). Londres, Nueva York: Rutledge https://doi.org/10.4324/9780203136751-11

Frenzel, F. (2016). Slumming it. London: Zed Books. https://doi.org/10.5040/9781350222595

Frenzel, F. (2013). Slum tourism in the context of the tourism and poverty (relief) debate. Die Erde – Journal of the Geographical Society of Berlin, 144 (2), 117-128. https://doi.org/10.12854/erde-144-9

Frenzel, F. Koens, K. (2012). Slum Tourism: Developments in a Young Field of Interdisciplinary Tourism Research. Tourism Geographies, 14 (2), 195-212. https://doi.org/10.1080/14616688.2012.633222

Frenzel, F.; Koens, K.; Steinbrink, M.; Rogerson, C. (2015). Slum Tourism: State of the Art. Tourism Review Internatio-nal. Slum Tourism, 18 (1), 237–252. https://doi.org/10.3727/154427215X14230549904017

Godinho, L; Lança, V. (2018). Turismo de Base Comunitária: uma possibilidade no Morro do Vidigal (Rio de Janeiro, Brasil). Turismo & Sociedade (Curitiba), 11 (1), 44-68. https://doi.org/10.5380/tes.v11i1.57288

Godoy, K.; Luna, S. (2012). A estética turística e cinematográfica da favela: suportes de uma autenticidade construí-da. Caderno Virtual de Turismo, 12, 239-252.

Hannam, K.; Sheller, M.; Urry, J. (2006). Mobilities, immobilities and moorings. Mobilities, 1(1), 1-22. https://doi.org/10.1080/17450100500489189

Iqani M. (2016). Slum Tourism and the Consumption of Poverty in TripAdvisor Reviews: The Cases of Langa, Dharavi and Santa Marta. In: Consumption, Media and the Global South, (pp. 51-86). Londres: Palgrave Macmillan. https://doi.org/10.1057/9781137390134_3

Kamada, D. M. P. (2015). A Construção da Favela Turística: o caso de Vila Canoas, RJ [Tesis de Magister, Programa de Postgrado en Sociología, Universidad Federal da Grande Dourados].

Jaffe, R., Dürr, E., Jones, G. A., Angelini, A., Osbourne, A., Vodopivec, B. (2019). What does poverty feel like? Urban inequality and the politics of sensation. Urban Studies, 7(5), 1015–1031. https://doi.org/10.1177%2F0042098018820177

Jaguaribe, B. (2010). Ficções do Real: notas sobre as estéticas do realismo e pedagogias do olhar no América Latina contemporânea. Ciberlegenda (Niterói), 23, 6-14. https://doi.org/10.22409/c-legenda.v1i23.25998

Jaguaribe, B.; Hetherington, K. (2004). Favela tours: indistinct and mapless representations of the real in Rio de Ja-neiro. In: Sheller, M.; Urry, J. (Org.). Tourism Mobilities. Places to play, places in play. (pp. 155-166). Nueva York: Routledge.

Larkins, E. (2015). The Spectacular Favela: Violence in Modern Brazil. Oakland (California): University of California Press.

LeBaron, E. (2014). Reimagining the Geography of the Favelas: Pacification, Tourism, and Transformation in Comple-xo Do Alemão, Rio de Janeiro. Tourism Review International, 18 (4), 269-282. https://doi.org/10.3727/154427215X14230549904099

Machado. D.S. (2007). Turismo de Favela e desenvolvimento sustentável: um estudo do turismo de favela do bairro Vila Canoas. [Tesis de Magister, Programa de Postgrado en Trabajo Social, PUC-Río de Janeiro].

Machado, M. (2016). Imaginários sociais sobre as favelas cariocas: o turismo-cultural do museu de favela e seus modos de ativação digital. Diálogo, 1 (1), 61-74. http://doi.org/10.22398/2525-2828.1161-74

Madureira, M. A. ; Oliveira, E. ; Irving, M. A ; Tavares, F. (2018). Favela? lugar para se visitar ou evitar? As contradições na mídia sobre o turismo em favelas no Rio de Janeiro. Verso e Reverso, 32, 168-186. https://doi.org/10.4013/ver.2018.32.81.01

Maia, J.; Bispo, M. (2010). Os favela tours: uma análise dos relatos dos usuários de um fórum de discussão compa-rada com a visão dos moradores de uma comunidade visitada no Rio de Janeiro. Periferia. 2 (2).

Mees, L.A.L. (2015). Espaços turísticos construídos no Complexo do Alemão por roteiros comerciais. Revista Iberoa-mericana de Turismo, 5, 43-53.

Mees, L.A.L. (2017). “Vem Passear no Teleférico. Tira foto manda pro internacional!”: políticas e práticas de turismo em um Alemão-Complexo. [Tesis de Doctorado. Programa de Postgrado en Antropología, Universidad Fede-ral Fluminense].

Mano, A. D. (2018). A Turistificação de Favelas no Cenário dos Megaeventos. Revista Ensaios, 12, 67-79. https://doi.org/10.22409/re.v12i0.2909

Mano, A.; Mayer, V.; Fratucci, A. (2017). Turismo de base comunitária na favela Santa Marta (RJ): oportunidades sociais, econômicas e culturais. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, 11, 413-435. https://doi.org/10.7784/rbtur.v11i3.1314

Mendes, I. C. R. (2014). O uso contemporâneo da favela na cidade do Rio de Janeiro. [Tesis de Doctorado, Programa de Postgrado en Arquitectura y Urbanismo. Universidade de São Paulo].

Menezes, P. (2007). Objeto e sujeito da fotografia: gringos e câmeras na favela da Rocinha. Cadernos de Antropolo-gia e Imagem, 25, 65-78.

Menezes, P. (2008). Interseções entre novos sentidos de patrimônio, turismo e políticas públicas: um estudo de caso sobre o museu a céu aberto do Morro da Providência. 2008. [Tesis de Magister, Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro – IUPERJ].

Menezes, P. (2010). Tourists photographic gaze: The case of Rio de Janeiro Favelas. In: Sharpley. R et al. (Org.). Tour-ist Experience. Contemporary perspectives, (pp. 95-112), Abingdon (Nueva York): Routledge.

Menezes, P. (2012a). Um museu que a favela esqueceu? Reflexões sobre o processo de patrimonialização e turisti-ficação do Morro da Providência. In: RAMOS, Silvana Pirillo. (Org.). Planejamento de Roteiros Turísticos (pp. 85-110), Porto Alegre: Zouk Editora e Distribuidora.

Menezes, P. (2012b). A forgotten place to remember: reflections on the attempt to turn a favela into a museum. In: Frenzel, F. et al. (Org.) Slum Tourism: Poverty, Power and Ethics, (pp. 103-124), Londres - Nueva York: Routledge.

Menezes, P. (2015). Será que estaremos aqui quando as Olimpíadas chegarem? Novas oportunidades e preocupa-ções pós-UPP na “favela modelo”. Trama: indústria criativa em revista. Rio de Janeiro, 1 (1), 42-58.

Miranda, I.; Fortunato, R.A. (2016). O turismo sobe o morro do Vidigal (Rio de Janeiro, Brasil): uma análise explorató-ria. Turismo e Sociedade (Curitiba), 9, 1-20. http://doi.org/10.5380/tes.v9i2.47540

Moraes, C.M.S. (2010). Caminhos do Pavão, Pavãozinho e Cantagalo. Revista Intratextos, 1, 32-46. https://doi.org/10.12957/intratextos.2010.407

Moraes, C.M.S. (2011). Museu de Favela: pensando turismo e patrimônio no Pavão, Pavãozinho e Cantagalo. [Tesis de Magister, Programa de Postgrado en Ciencias Sociales, Universidade del Estado de Río de Janeiro].

Moraes, C.M.S. (2013). A invenção da favela ecológica: um olhar sobre turismo e meio ambiente no Morro Babilônia. Estudos de Sociologia (Araraquara), 18, 459-474.

Moraes, C.M.S. (2014). Ecological Slums? Initial Notes on Tourism and Ecology in Brazilian Favelas. Tourism Review International, 18 (4), 63-74. https://doi.org/10.3727/154427215X14327569678830

Moraes, C.M.S. (2016). Turismo em favelas: notas etnográficas sobre um debate em curso. Plural (São Paulo), 23 (2), 65-93. https://doi.org/10.11606/issn.2176-8099.pcso.2016.125110

Moraes, C.M.S. (2017). Favelas Ecológicas: passado, presente e futuro da favela turística. [Tesis de Doctorado, Pro-grama de Postgrado en Historia, Política y Bienes Culturales, CPDOC/FGV-RJ].

Moraes, C.M.S. (2018). Um Museu para experimentar. In: Mario de Souza Chagas e Vladimir Sibylla Pires (orgs.). (Org.). Território, museus e sociedade: práticas, poéticas e políticas na contemporaneidade, (pp. 267-281), Rio de Janeiro: UNIRIO / IBRAM.

Novaes, P. A. (2018a). Gentrificação Periférica na Cidade do Rio De Janeiro: um estudo sobre as favelas Babilônia, Chapéu Mangueira, Vidigal e Santa Marta. [Tesis de Doctorado. Programa de Postgrado en Planificación Ur-bana y Regional, Universidad Federal de Río de Janeiro].

Novaes, P. A. (2018b). Favelas e gentrificação: possibilidades analíticas para explicar as transformações urbanas na cidade do Rio de Janeiro. Revista de Antropologia e Sociologia, 2, 49-65.

Ost, S. (2012). O mercado sobe a favela: um estudo sobre o Santa Marta pós-UPP. [Tesis de Magister, Programa de Postgrado en Administración, EBAPE/FGV-RJ].

Ost, S.; Fleury, S. (2013). O mercado sobe o morro: a cidadania desce? Efeitos socioeconômicos da pacificação no Santa Marta. Dados. 56, 635-671. https://doi.org/10.1590/S0011-52582013000300006

Pereira, R. M. (2017). O turismo na Favela Santa Marta: reflexões à luz da teoria de Pierre Bourdieu. [Tesis de Magis-ter, Programa de Postgrado en Turismo, Universidad Federal Fluminense].

Rodrigues da Silva, D.; Corbari, S. D.; Sampaio, C.A.C.; Grimm, I. J. (2014). Turismo comunitario en favelas: Un estudio del Favela Inn Hostel, Chapéu Mangueira - Rio de Janeiro, Brasil. Estudios y Perspectivas em Turismo (Bue-nos Aires), 23 (4), 786-804.

Rodrigues, F.S.F. (2014). Observação Participante no Museu de Favela: Reflexões sobre o Turismo em um Museu de Território. Caderno de Estudos e Pesquisas do Turismo (Curitiba), 3, 30-52.

Santos, R.C. (2015). Becos e Vielas do Museu de Favela. Cadernos CEON, 27(41), 330-336.

Silva, L.A. (2012) Museu e Turismo: instrumentos de negociação e cidadania? Estudo de caso do Museu de Favela – MUF / Rio de Janeiro (RJ). [Tesis de Magister, Programa de Postgrado en Antropología, Universidad Federal de Pernambuco].

Silva, H. S.; Laércio, M. O. (2011). Turismo Em Favelas: a contribuição do poder público em Nova Brasília e no Morro da Providência. Cadernos de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo (Mackenzie), 11, 100-117.

Siqueira, E. (2018). Categorizações, Conjuntos e Audiência no Instagram: repensando folksonomias a partir da hashtag #favelatour. [Tesis de Magister, Programa de Posgrado en Lingüística Aplicada, Universidad Estadu-al de Campinas].

Spampinato, Elisa. (2009). Turismo em favelas cariocas e desenvolvimento situado: a possibilidade do encontro em seis iniciativas comunitárias. [Tesis de Magister, Programa de Postgrado en Ingeniería de Producción, COP-PE/Universidad Federal de Río de Janeiro].

Steinbrink, M. (2014). Festifavelisation: mega-events, slums and strategic city-staging – the example of Rio de Janei-ro. Die Erde – Journal of the Geographical Society of Berlin, 144(2), 129-145. https://doi.org/10.12854/erde-144-10

Urry, J. (2007). Mobilities. Cambridge: Polity.

Urry, J. (2001). O olhar do turista. Lazer e viagens nas sociedades contemporâneas. São Paulo: Studio Nobel/SESC.

Valduga, M. C.; Moura; Lima, R. (2013). A segurança como elemento da hospitalidade: a presença das Unidades de Polícia Pacificadora como elemento facilitador do desenvolvimento do turismo nas favelas do Rio de Janei-ro (RJ). Revista Brasileira de Ecoturismo, 6(3), 630-647. https://doi.org/10.34024/rbecotur.2013.v6.6229

Valladares, L. P. (2005). A invenção da favela: do mito de origem à favela. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Van Rompu, P. (2019). El turismo como herramienta: rehumanizando las favelas de la Zona Sur de Río de Janeiro a través de narrativas de turismo comunitario. Apuntes. Revista De Ciencias Sociales, 46(85), 79-113. http://doi.org/10.21678/apuntes.85.1046.

Publicado

2022-01-11

Edição

Seção

Artigos - Turismo e Sociedade