Análise e perspectivas do turismo no Brasil

Palavras-chave: Economia do turismo, Turismo no Brasil, Turismo receptivo internacional, Turismo doméstico, Demanda turística, Balança de pagamentos do turismo.

Resumo

Este texto traz uma síntese da atividade turística no Brasil, apresentando e analisando estatísticas sob a perspectiva econômica. Para tanto, são reunidos dados das principais fontes oficiais disponíveis, bem como informações sobre o turismo produzidas pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE). Inicialmente são apresentadas análises sobre o mercado mundial de turismo. Em seguida, é discutida a realidade do turismo internacional receptivo do Brasil, incluindo relações entre renda, preços, taxa de câmbio e turismo. Três análises sobre o turismo no Brasil são destacadas: a importância do turismo doméstico, as oportunidades existentes no turismo receptivo internacional e os impactos do turismo na distribuição regional de renda. Por fim, o texto apresenta algumas recomendações para o turismo no Brasil.

Biografia do Autor

Wilson Abrahão Rabahy, Universidade de São Paulo (USP)
Professor titular aposentado da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Doutor e livre-docente em Ciências da Comunicação. Coordenador de inúmeras pesquisas de turismo realizadas pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) para entidades como o Ministério do Turismo (MTUR), Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Ministério do Meio Ambiente, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), além de vários governos estaduais e municipais. Foi pioneiro e se tornou referência no estudo do turismo pela perspectiva econômica no Brasil. Sua reputação lhe rendeu o primeiro prêmio de prêmio entregue pela ANPTUR a um pesquisador.

Referências

Banco Central do Brasil (2019). Balanço de Pagamentos – BPM6. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/estatisticas/tabelasespeciais. Acesso em: 19/07/2019.

Brasil. Ministério do Turismo (2019). Anuário Estatístico de Turismo - 2019. 46, ano base 2018. Brasília: Ministério do Turismo.

Bull, A. (1994). La Economía del Sector Turístico. Alianza Editorial, Madrid.

EMBRATUR. (2002). Conta Satélite do Turismo: Brasil: 1999. Brasília: EMBRATUR.

Haddad, E. A.; Porsee, A. A. & Rabahy, W. A. (2013). Domestic tourism and regional inequality in Brazil. Tourism Economics, 19(1), 173-186. https://doi.org/10.5367%2Fte.2013.0185

IBGE. (2012). Economia do Turismo: Uma Perspectiva Macroeconômica 2003-2009. Estudos e Pesquisas Informação Econômica, 18. Rio de Janeiro: IBGE.

Kadota, D. K. & Rabahy, W. A. (2003). Conta Satélite de Turismo no Brasil: método de avaliação do impacto econômico do turismo. Turismo em Análise, São Paulo, 14(1), 65-84. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v14i1p65-84

Rabahy, W. A. (2003). Turismo e Desenvolvimento: Estudos Econômicos e Estatísticos no Planejamento. Ba-rueri (SP): Manole.

Rabahy, W. A.; Silva, J. C. D. & Vassallo, M. D. (2007). Os Efeitos Assimétricos da Taxa de Câmbio Real sobre a Conta de Viagens Internacionais do Balanço de Pagamentos Brasileiro. Boletim de Informações FIPE. São Paulo: FIPE. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v19i2p293-306

UNWTO. (2018). Tourism Highlights. Madrid: UNWTO.

UNWTO. (2019). World Tourism Barometer. Madrid: UNWTO.

Publicado
15-12-2019
Seção
Perspectivas