Dialogando com experiências vivenciadas em Marraquech e America Latina para compreensão do Turismo Comunitário e Solidário

Autores

  • Carlos Alberto Cioce Sampaio Universidade Regional de Blumenau (FURB)
  • Luzia Neide Coriolano Universidade Estadual do Ceará (UECE).

DOI:

https://doi.org/10.7784/rbtur.v3i1.125

Palavras-chave:

Turismo comunitário e solidário. Modos de vida e de produção

Resumo

A discussão sobre turismo comunitário e solidário sugere reflexões a respeito das modalidades: turismo cultural, etnoturismo, ecoturismo e agroturismo, muitas vezes, apropriadas a lógicas darwinista de mercado e dinâmica capitalista, limitando a potencialidade de experiências turísticas à conservação de modos de vida de populações tradicionais. O objetivo deste trabalho é dialogar com experiências de cerimoniais de trocas mercantis vivenciadas em Marraquech, em dezembro de 2008, para compreensão do turismo comunitário e solidário que vem acontecendo na America Latina. O turismo em Marraquech é seccionado por uma muralha. Na Medina, dentro da muralha, o apelo sociocultural beribére e árabe predomina sob cerimonial mercantil único: “não se sabe bem ao certo ou ‘nunca’ se saberá se está fazendo ou não um bom negócio”. Fora da muralha, o circuito sociocultural ocidentalizado prevalece em redes de hotéis, restaurantes e lojas internacionais conhecidas como “quanto mais caro, melhor deve ser!” O que faz refletir é o quanto os cerimoniais, representados por modos de vida estão próximos ou distantes. Certamente a muralha física é bem menor do que o muro simbólico estabelecido entre aldeias: ocidental e comunitária, e entre o turismo convencional e  de base local e solidária.

 

Biografia do Autor

Carlos Alberto Cioce Sampaio, Universidade Regional de Blumenau (FURB)

Professor dos Programas de Pós-Graduação: Doutorado em Ciências Contábeis e Administração e Mestrado em Desenvolvimento Regional da Universidade Regional de Blumenau (FURB); Coordenador do Instituto LaGOE: Laboratório de Gestão de Organizações que promovem o Ecodesenvolvimento (ONG situada em Curitiba); Pesquisador P&Q do CNPq e da FAPESC.

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/9034603212802471

Luzia Neide Coriolano, Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Coordenadora do Mestrado Acadêmico em Geografia e do Laboratório de Estudos do Território e do Turismo (NETTUR) /  Grupo de Estudos do CNPq Turismo Território e Cultura, Universidade Estadual do Ceará (UECE).

CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/4477795642535596

Downloads

Publicado

2009-06-17

Edição

Seção

Artigos